Mudar, passo a passo

Na mudança hábitos de vida, nomeadamente na introdução do Chi Kung ou da Alimentação Macrobiótica existem pelo menos quatro fases neste processo.

São elas.

  • Suportar a História.
  • Identificar deficiências
  • Alteração de padrões
  • Rescrever a história

Suportar a História, não existindo uma urgência, a introdução do estilo de vida macrobiótico passa por suportar a nossa história atual.

A História é o que acreditamos ser verdade, esta é a História que contamos a nós próprios e que cria os nossos limites e o nosso potencial. Assim, suportar a História refere-se a investir a energia de mudança no que é confortável.

Se só consegue ter 20 minutos para cozinhar porque não fazer um millet ou trigo sarraceno em vez de arroz integral que demora 50?

Se existe uma preferência por determinados movimentos de Chi Kung – porque não começar por ai, em vez dos que para si apresentam mais desafio.

O objetivo é criar conforto na mudança e não julgar a sua História atual. As mudanças mais eficazes são as que surgem pela curiosidade – não pelo julgamento.

Identificar e deficiências, quando existem situações em que se necessita de uma mudança mais rápida – por questões de saúde por exemplo – começa-se por aqui. Aqui o ego sofre mais – pois entende-se que as deficiências são causadas pelos hábitos, que são criados pela História que tem vivido até aqui.

Uma situação só é crónica porque existem hábitos crónicos instalados. Estes hábitos são como furos num balde que tenta encher com água. Essa água é vitalidade. Se o balde não é recuperado – por melhor seja o sistema de Chi Kung que realiza ou a qualidade dos ingredientes que cozinha, se estas deficiências não são identificadas e transformadas o potencial destas artes não se consegue materializar. O seu corpo mente e emoções não usufruí do que lhe está a oferecido.

Identificar fugas e reparar o balde não necessita de viajar até à Índia, China ou Tibete, basta dormir as horas suficientes para sentir que teve um sono repousante, realizar refeições a horas certas, passar menos tempo sentado ou passar mais tempo ao ar livre.

Alteração de padrões. Só quando o balde não verte é possível transformar padrões profundamente instalados no seu sistema.

Se não existe energia este padrões mais profundos não são transformados. Aqui é provável que se recomende alimentos ou exercícios que lhe são desafiantes.

Se o balde continua a verter é difícil manter rotinas que vão para além do que a história define como sendo os seus limites. Começa-se mas não se acaba – porque o cansaço se instala.

Quer testar o que acabou de ler?

Experimente realizar este vídeo se dormiu menos horas de sono que o habitual. E observe como a sua mente se comporta antes e durante o exercício.

Nomeadamente a facilidade que tem em aceitar o desafio e levar o exercício até ao fim.

Rescrever a história, significa olhar para a sua história antiga e transforma-la sem medos. É comum que exista o desejo de começar pelo fim da história. Cruzar as pernas e procurar personificar a imagem de Buda no momento em que se iluminou, quando Buda muito provavelmente começou o seu percurso em direção à iluminação de uma forma bastante diferente do que aquela que as imagens representam.

Se começar pelo fácil terá probabilidades de incorporar o mais desafiante. Começar pelo mais difícil, sem escuta necessária de corpo e mente, pode resultar frequentemente em voltar onde se começou – frequentemente mais casado/a.

Estes quatro pontos são circulares e não lineares.

Mesmo ao rescrever a sua história é vai compreender que esta tem limites, que no início esta sua reinvenção tenha de ser gentil e com compaixão e que tenha de suportar esta nova história, é comum que novas fugas tenham surgido no balde em ponto diferentes e que necessitam de ser identificadas, é provável que outras camadas e padrões surjam em conjunto com a necessidade de os transformar e que só agora se manifestam – de pois da camada anterior ter sido removida.

Estes quatro pontos não estão relacionados com uma competição ou um concurso, até porque isso gera stress e o stress leva a voltar aos hábitos antigos, que podem não ser os mais confortáveis, mas são os mais familiares.

Estes quatro pontos levam o tempo que têm que levar.

Como escreveu confúcio – “Não interessa a velocidade que vais o importante é mesmo não parar.”

Boas práticas – com gentileza e compaixão necessárias.

29 Partilhas


Subscreva

Ao subscrever o nosso blog, para além dos artigos e das nossas divulgações, oferecemos-lhe nos próximos 15 dias um programa de regeneração diário.

Comece hoje, um caminho dedicado a si.

Conheça os nossos cursos

Regenerar app

Chi Kung Fundamentos

Astrologia do Ki das 9 Estrelas

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *