Assumir a imperfeição

Estou a escrever um artigo há quase uma semana e ainda não pressionei no botão Publicar. Porquê?

Porque quero que seja perfeito. Quero que tenha uma boa história e sumo. Quero que obedeça a um tema que me propus a escrever. E como não é perfeito, não tem o sumo que acho que devia ter, nem o consigo ligar com o tema que me tinha proposto ainda não o publiquei. Já percorri este caminho antes,  assim como alguns dos que se seguem

  • Não publicar mais vezes porque os artigos não estão perfeitos
  • Não apresentar uma proposta ou uma ideia porque acho que existem melhores
  • Não intervir quando devia porque não consigo argumentar em todas as frente.
  • Não lançar um site ou blog porque acho que ainda não chegou a altura
  • Não publicar um livro porque tem páginas a mais, ou a menos, poucas imagens ou o tipo de letra ainda não é o ideal
  • Não treinar hoje porque não tenho o tempo suficiente para o treino que acho que seria ideal.
  • Não cozinhar algo novo porque não tenho todos os ingredientes
  • Não começar hoje uma mudança porque as condições ainda não estão todas reunidas
  • Não abordar alguém com receio de não conseguir articular o que quero dize.

Quando a perfeição imediata é a meta e se espera pelas condições ideais, como fator decisivo para o início ou concretização de uma viagem ou projeto, facilmente se esquece que a viagem começa com um primeiro passo.

Na mente da perfeição nunca existe Tempo suficiente Dinheiro suficiente Qualidade suficiente Conhecimento suficiente O momento ideal … A mente da imperfeição tem-me ensinado que as grandes viagens começam na sua maioria com passos acidentais ou imperfeitos mesmo as que são preparadas até ao último detalhe. Nesse sentido tenho verificado que:

  • Após um artigo imperfeito muitos outros podem ser escritos – de outra forma nada acontece.
  • Mesmo que a ideia ou uma proposta não seja a ideal existe pelo menos um ponto de partida.
  • Após uma conversa insegura uma base para o dialogo é criada.
  • Cozinhar sem os ingredientes perfeitos e com o que existe resulta em combinações espantosas.

Abrir a porta à mudança com o que temos no momento pode tornar-se algo poderoso e numa viagem inesquecível. …

Assumir a incapacidade de criar a perfeição abre mais possibilidades que esperar as condições ideais e perfeitas para que algo aconteça.

Pense nas viagens, descobertas e projetos que está a adiar por estar a querer que seja perfeito ou ideal e aquilo que nunca acontece porque falta só mais um bocadinho para…

Depois sorria e tenha a coragem de dar um primeiro passo – orgulhosamente imperfeito.

Boas práticas.

79 Partilhas


Subscreva

Ao subscrever o nosso blog, para além dos artigos e das nossas divulgações, oferecemos-lhe nos próximos 15 dias um programa de regeneração diário.

Comece hoje, um caminho dedicado a si.

Conheça os nossos cursos

Regenerar app

Chi Kung Fundamentos

Astrologia do Ki das 9 Estrelas

2 thoughts on “Assumir a imperfeição”

  1. Olá Lourenço, espero que estejas bem. Ler este artigo foi mesmo inspirador :). Fez-me escrever este comentário (im) perfeito 🙂

    1. Lourenco Azevedo

      Olá Sara obrigado pelo teu comentário. Com artista sabes que não existe material imperfeito mas em contínuo processo evolutivo. Boas práticas.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *